SSO : conheça 7 estratégias brilhantes para aplicar na empresa.

SSO tem por definição Segurança e Saúde Ocupacionais que também é conhecida como SST. Apenas por melhor tratativa, as organizações usam com maior frequência a segunda sigla, mas isso não muda a posição final para nós prevencionistas.

Diante disso, e com intuito de buscar o que há de melhor em SSO nos outros países, trouxe um artigo muito interessante a respeito da Segurança e Saúde Ocupacionais que foi tema de uma conferência nacional da educação da AOHP  em São Francisco, Califórnia.

Logo isso nos remete a refletir que para mudar o rumo da SST no Brasil é necessário trabalhar na educação.

SSO: as explicações do Dr. Casey Chosewood

As lesões de trabalho acontecem no trabalho, lesões fora do trabalho acontecem em outro lugar, e nunca os dois vão se encontrar, certo? Mas não é assim, diz um defensor da segurança e saúde dos trabalhadores.

O Dr. Casey Chosewood, diretor do Departamento de Saúde Total dos Trabalhadores do Instituto Nacional de Segurança e Saúde Ocupacional, trouxe essa mensagem recentemente para a conferência anual da Associação de Profissionais de Saúde Ocupacionais (AOHP).

Segundo Chosewood, a separação entre a saúde no trabalho e a saúde no lar precisa ser quebrada. Então pense desta maneira: Não há maior indicação de saúde geral do que a capacidade de trabalhar. Com isso em mente, Chosewood revelou suas sete estratégias para uma força de trabalho mais saudável, mais segura e mais produtiva na conferência:

SSO
SSO: 7 estratégias brilhantes para aplicar na empresa.

1ª SSO: conexão entre Saúde no Trabalho e Saúde em Casa

Não subestime a conexão entre a saúde no trabalho e a saúde em casa. Chosewood diz que, se queremos o verdadeiro bem-estar dos trabalhadores, temos primeiro que analisar as condições que os trabalhadores enfrentam no trabalho. Um estudo dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças comparou a idade do calendário e as idades cardiovasculares das pessoas. Em média, a idade cardiorrespiratória das mulheres é cinco anos superior à sua idade civil; para os homens são sete anos. Chosewood diz que uma das principais causas desta diferença de idade de cardio-calendário é o trabalho. Em outras palavras, o trabalho está fazendo nossos sistemas cardiovascular envelhecerem mais rápido do que cronologicamente.

Então conheça um artigo que fala sobre a Síndrome de Burnout e vai entender mais a respeito desta conexão.

2ª Ser vigilante aos riscos

Seja vigilante e responsivo aos riscos que o trabalho representa para a saúde do funcionário. Chosewood diz que não é razoável esperar que os trabalhadores mudem seus comportamentos quando seus arredores não mudam – isto é, quando os perigos não mudaram.

3ª Quais políticas ou cultura afetam a SSO?

Concentre-se primeiro no desenvolvimento da cultura e nas políticas que afetam a maneira como o trabalho é feito. Veja como as condições de trabalho contribuem para doenças crônicas. Quase metade dos adultos tem uma condição crônica. Deste grupo, metade tem várias condições.

4ª Correção de trabalhos que levam ao sobrepeso

Corrigir trabalhos que levam ao sobrepeso. O trabalho específico pode prever se uma pessoa tem maior probabilidade de ser obesa? Sim, diz Chosewood. Exemplo: motoristas de caminhão. Então, segundo o Dr  a natureza da direção de caminhões pode gerar nos funcionários um excesso de peso.

5ª SSO: importante treinar a chefia nos resultados de saúde

Treine os supervisores com os resultados de saúde em mente. Treine-os para reconhecer os primeiros sinais de trabalhadores com problemas de saúde. Os supervisores devem prestar especial atenção a esses grupos: novos trabalhadores que possuem uma curva de aprendizado mais acentuada; trabalhadores contratados / temporários que tendem a ter as tarefas mais perigosas; e pessoas que estão tendo desafios específicos com a integração entre vida profissional e pessoal, talvez porque estejam cuidando de crianças mais novas, de um parente doente ou de pais mais velhos. Estes merecem muita atenção!

6ª Desenvolver programas de SSO

Então é importante criar programas de benefícios com a segurança e a saúde do trabalhador. Fornecer suporte aos funcionários para que eles possam usar efetivamente seus benefícios de tempo de folga. (Por exemplo: um programa de benefícios que oferece uma semana de licença médica paga por ano não é bom se os trabalhadores não forem efetivamente capazes de usá-lo quando precisarem.) Um estudo do NIOSH mostra que os funcionários com acesso a licença médica paga têm uma probabilidade 28% menor para ser ferido.

7ª A importância da intervenção pessoal para o trabalhador

Faça a intervenção pessoal para os trabalhadores. Deixe-os saber que sua saúde é importante para você. Chosewood diz que o objetivo final é criar maneiras para que as pessoas sejam saudáveis ​​o suficiente para que possam passar mais tempo com seus entes queridos.

Será que no Brasil funciona?

Embora estejamos falando de SSO voltada para um outro nível, é importante frisar que as dicas mencionadas neste artigo podem funcionar no Brasil sim.

Indiscutivelmente estamos vivendo um tempo de grandes tribulações e para a área de SSO não é diferente. O índice de acidentes do trabalho em nosso país é assustador.

Além do mais, precisamos de uma política mais transparente e sem corrupção, que vai ofertar ao brasileiro uma qualidade digna de vida. E obviamente isso está relacionado com a saúde, educação, emprego e consequentemente vai influenciar na SSO dentro das organizações. Logo é necessário investir em treinamentos. Quer saber mais? Clique aqui!

Fonte primária de consulta

Autora: Maria Lima/Técnica de Segurança do Trabalho e Gestora Ambiental

Saiba mais

Prolife especialista em SSO

Os melhores vídeos de SSO da atualidade

Rodrigo Oliver
Sou Engenheiro de Segurança do Trabalho e Higienista Ocupacional, daqueles que estão sempre falando de segurança, então a ideia é compartilhar com vocês as coisas que acredito e que têm possibilitado um grande sucesso na nossa empresa. Aqui são dezenas de pessoas trabalhando para encontrar a solução mais incrível na redução dos acidentes de trabalho e das doenças ocupacionais.