Ergonomia afeta o eSocial? Entenda como:

A Ergonomia é a área do conhecimento que estuda a relação entre o homem e o trabalho.

Ergonomia

Ergonomia como ferramenta de integração entre gestão e operação

Quando se fala em Ergonomia e Segurança do Trabalho é comum o pensamento restrito à Norma Regulamentadora (NR) 17.

A NR 17 é, no entanto, uma pequena parcela do todo, advinda da vertente norte-americana da Ergonomia.

Aos poucos, a Ergonomia francesa (Ergonomia da Atividade) vem ocupando espaço, mostrando que apenas correções posturais não são suficientes.

Mas então, o que de fato, estuda a Ergonomia da Atividade?

Esta vertente parte da diferença entre o trabalho prescrito (tarefa) e a maneira como o trabalho, de fato, ocorre (atividade).

Estes conceitos diferem-se pois existem diversas situações inesperadas, as variabilidades, que modificam o cenário em que o trabalho foi planejado.

Tais imprevistos fazem com que os trabalhadores precisem ajustar-se para, apesar dos pesares, atingir os objetivos pretendidos.

Estes “ajustes” feitos pelos trabalhadores são, a rigor, chamados de regulações, as grandes responsáveis por fazer o trabalho acontecer.

Estas regulações, por sua vez, surgem com a experiência diária, os valores e os saberes adquiridos pelo trabalhador, dentro e fora da empresa ao longo dos anos.

E porque a empresa deve se preocupar com toda essa teoria?

O diferencial da Ergonomia da Atividade é reconhecer que o verdadeiro conhecedor do trabalho é o trabalhador, apesar do conhecimento técnico dos gestores.

Partindo deste princípio, é necessário englobá-los em processos decisórios e deixar de lado a atitude positivista que diz que EU (gestor) sei o que é melhor para VOCÊ (funcionário).

Desta forma, é possível partir em busca de soluções conjuntas que serão aplicáveis no desenvolver do trabalho real.

Outro ponto de destaque, é a certeza de que duas pessoas nunca fazem o mesmo trabalho. Tempo de experiência, empresa, setor, função podem ser iguais, mas a atividade, não.

Afinal, a bagagem de conhecimento que o trabalhador usa para enfrentar as situações inesperadas é única, fruto de sua história pessoal e profissional.

E o que isso tem a ver com o eSocial?

Para que vocês vejam como a Ergonomia francesa tem conquistado espaço, pensem na exigência da gestão individual no eSocial.

Afinal, a bagagem de conhecimento que o trabalhador usa para enfrentar as situações inesperadas é única, fruto de sua história pessoal e profissional até ali

Se sabemos que dois funcionários sempre trabalharão de maneira distinta, não é totalmente compreensível que sejam tratados individualmente?

E é essa a exigência legal, gestão por CPF e não mais por Grupo Homogêneo de Exposição (GHE).

A princípio esta ideia, bem como a nova exigência legal, pode causar certo estranhamento, eu sei disso..

Mas nós, profissionais sérios e realmente comprometidos com a saúde e segurança, certamente queremos fazer da maneira correta e não pegar atalhos, não é verdade?

Então o que você precisa é de uma plataforma que faça a gestão eficaz de SST e eSocial.

Não se preocupe é fácil conseguir, basta clicar aqui para ter mais informações.

Autora: Letícia Mattos / Engenheira de Saúde e Segurança (equipe: eSocial Brasil)

Saiba mais

Plataforma eSocial Brasil, a única que faz a gestão eficaz de SST

Os mais comentados e assistidos vídeos de Segurança, Saúde e eSocial

Rodrigo Oliver
Sou Engenheiro de Segurança do Trabalho e Higienista Ocupacional, daqueles que estão sempre falando de segurança, então a ideia é compartilhar com vocês as coisas que acredito e que têm possibilitado um grande sucesso na nossa empresa. Aqui são dezenas de pessoas trabalhando para encontrar a solução mais incrível na redução dos acidentes de trabalho e das doenças ocupacionais.