Ergonomia: A história que ainda não foi contada

Ergonomia é a ciência que estuda as relações entre o homem e o trabalho. Tem a intenção de gerar “Saúde, Segurança e Desempenho Eficiente”: é o que traz a NR 17 – Ergonomia.

A NR 17 aborda os fatores da linha de pesquisa norte-americana de Ergonomia. Porém, essa é apenas uma parte dessa ciência. A outra linha de pesquisa é a francesa, a Ergonomia da Atividade.

Nesse vídeo, você terá informações sobre a Ergonomia norte-americana, que na verdade são dicas excelentes para quem trabalha em escritório. Bora conferir?

Viu como são ótimas as dicas? E os execícios ajuda-nos a não termos dores no fim do dia.

Mas agora fica a pergunta: E quem não trabalha em um escritório? Como seria?

Pois é! É aí nesse ponto que encontramos as limitações da Ergonomia norte-americana, que para nós aqui no Brasil está na NR 17, e então, necessariamente, precisamos utilizar a Ergonomia da Atividade da linha de pesquisa francesa.

Tem como sugerir as mesmas recomendações para essa atividade de soldador?

Não.

Então, será a metodologia da Ergonomia da Atividade é que vai nos valer!

TAREFA PRESCRITA x ATIVIDADE REAL

Portanto, precisamos 1º saber a diferença entre a TAREFA PRESCRITA x ATIVIDADE REAL.

Tarefa prescrita: é a tarefa que a empresa prescreve para o trabalhador realizar (Ex: Procedimento Operacional). O trabalhador, geralmente, não participa da confecção dessa prescrição.

Aqui temos as condições determinadas pela empresa e a antecipação dos resultados. Ou seja, a empresa espera que se o trabalhador seguir a tarefa prescrita, ele vai gerar bons resultados para a empresa.

E não é bem assim….

Atividade Real: parte da tarefa prescrita, mas vai muito além. É o que o trabalhador faz para dar conta do seu trabalho. Tem condições reais e os resultados efetivos.

Vocabulário da Ergonomia da Atividade

Depois precisamos observar a Atividade Real, compreendê-la:

  • Quais são suas variabilidades (tudo que acontece e atrapalha a realização da atividade real de trabalho – ex: a matéria prima que chegou é de baixa qualidade e por isso o tempo de realização da atividade aumenta, aumenta também a dificuldade de manipulação da matéria prima );

  • O que o trabalhador faz para se regular diante dessas variabilidades (regular/regulação: maneira que o trabalhador encontra para manipular a matéria prima, mesmo ela sendo de baixa qualidade. Outra regulação do trabalhador seria em relação do tempo, o tempo da atividade aumentou por causa da baixa qualidade da matéria prima, então ele tem que aumentar o ritmo de trabalho ou fazer horas extras para entregar a produção no tempo pedido);
  • Como é a organização do trabalho;

  • Quais são as medidas administrativas adotadas pela empresa para gerir os riscos da atividade de trabalho, se houver (ex: na atividade que tem exposição intensa ao calor, alto forno, há necessidade de alterna as atividades nesse local e em outro local que não tenha a exposição ao calor);

  • Entre muitas outras características da atividade.

Atividade Real

Mas, temos uma certeza, toda Atividade Real de trabalho é: contextualizada, situada e singular.

Assim se um ergonomista que faz um Análise Ergonômica do Trabalho em um determinado frigorífico, NÃO pode aproveitar os resultados encontrado em um frigorífico diferente. As características, o maquinário, as condições, etc, dos frigoríficos são diferentes.

Pois existe o contexto da empresa está inserida

Por isso que todo ergonomista precisa acompanhar e observar a atividade real de trabalho para levantar hipóteses de quais características da empresa precisam ser transformado a fim de melhorar a Saúde, a Segurança e a Produtividade do trabalhador e consequentemente da empresa em geral.

Enfim, tudo isso é parte do que é a Ergonomia da Atividade e que nos ajudar a prevenir acidentes em todas e qualquer situação de trabalho. Sempre podemos melhorar a atividade de forma a gerar Saúde, Segurança e Produtividade.

Tendo em vista a quarentena devido ao Covid-19, muitas pessoas estão exercendo suas atividades em casa.

Para que o trabalho seja mais produtivo e não desgaste tanto. é necessário contar com algumas práticas para melhorar o rendimento. Quer saber mais sore isso?

Veja o vídeo abaixo, que contém posicionamentos incríveis sobre a ergonomia no home office.

Autora: Jennifer Fonseca/Engenheira de Saúde e Segurança

Saiba mais

AET – Análise Ergonômica do Trabalho: FAKE NEWS?

Ergonomia afeta o eSocial? Entenda como:

Rodrigo Oliver
Sou Engenheiro de Segurança do Trabalho e Higienista Ocupacional, daqueles que estão sempre falando de segurança, então a ideia é compartilhar com vocês as coisas que acredito e que têm possibilitado um grande sucesso na nossa empresa. Aqui são dezenas de pessoas trabalhando para encontrar a solução mais incrível na redução dos acidentes de trabalho e das doenças ocupacionais.