O que a NR 10 diz sobre Aterramento?

O aterramento elétrico representa papel fundamental no desempenho de sistemas elétricos submetidos à incidência de descargas atmosféricas, mas não para por aí! Pensando nisso, elaboramos esse post, para te mostrar com detalhes informações fundamentais, afinal, o que a NR 10 diz sobre aterramento? Veja, portanto, lendo este post até o final: 

O que a NR 10 diz sobre Aterramento

O que a NR 10 diz sobre Aterramento

Além de conduzir as correntes de descargas atmosféricas, os aterramentos possuem a função de descarregar cargas estáticas acumuladas nas carcaças das máquinas e equipamentos para o terra.

Possuem, também, a função de facilitar o funcionamento de dispositivos de proteção, como, por exemplo, os Dispositivos de Proteção Contra Correntes Residuais (DR).

O Ph.D. Marcos Mattos, em seu livro “Técnicas de aterramento”, define qual é a principal função do aterramento:

  • O objetivo é dispersar a corrente de falta para a terra sem causar diferenças de potenciais ou tensões induzidas perigosas para seres vivos. Além disso, reduz a possibilidade de danificar equipamentos localizados nas proximidades.

No que se refere aos aterramentos, a ABNT, por meio das NBRs 5410 e 5419, fixa condições básicas exigíveis ao projeto. Consequentemente, garante-se a segurança de pessoas e animais.

Ademais, preza-se, também, pelo funcionamento adequado da instalação e a conservação dos bens.

O que a NR 10 diz sobre Aterramento:

Em empresas, especificações do sistema de aterramento são obrigatórias nos esquemas elétricos unifilares . Também são exigidas a documentação das inspeções e as medições relativas a ela.

Além disso, os projetos devem prever condições para a adoção de aterramento temporário, assim como conter a configuração do seu esquema.

Lembrando que a instalação do aterramento temporário é uma das etapas do processo de desenergização do circuito.

Tipos de aterramento

 A NBR 5410 faz referência aos possíveis sistemas de aterramento que podem ser feitos na indústria, sendo que os três mais utilizados são:

  • Sistema TN-S: nesse sistema o neutro é aterrado logo na entrada e levado até a carga. Paralelamente, outro condutor, identificado como PE, é utilizado como fio terra e é conectado à carcaça do equipamento.
  • Sistema TN-C: nesse caso, o cabo neutro e terra são o mesmo condutor.
  • Sistema TT: aqui o cabo neutro é aterrado logo na entrada e segue como neutro até a carga. O aterramento da carga é isolado com haste própria, tornando-o independente da haste de aterramento do neutro.

O aterramento pode ser:

  • Aterramento Funcional: mediante ligação à terra de um dos condutores vivos do sistema (em geral, o neutro).
  • Aterramento de Proteção: por meio da ligação das massas e dos elementos condutores estranhos à instalação ao terra.
  • Aterramento Temporário: é uma ligação elétrica de baixa impedância realizada entre a rede elétrica sob manutenção e o terra.

E então, gostou? Esperamos que esse material tenha sido esclarecedor. Além disso, compartilhe conosco suas dúvidas, afinal, queremos contribuir com seu progresso. Acesse mais posts como esse clicando AQUI.

Até a próxima!

Autor: Lucas Piero de Oliveira | Engenheiro Eletricista | CREA-MG 229177

Saiba mais

Prolife especialista em treinamentos de NR 10

Os mais assistidos vídeos de SSO de todos os tempos

Rodrigo Oliver
Sou Engenheiro de Segurança do Trabalho e Higienista Ocupacional, daqueles que estão sempre falando de segurança, então a ideia é compartilhar com vocês as coisas que acredito e que têm possibilitado um grande sucesso na nossa empresa. Aqui são dezenas de pessoas trabalhando para encontrar a solução mais incrível na redução dos acidentes de trabalho e das doenças ocupacionais.