Norma Regulamentadora 36: O que você sabe sobre ela?

A Norma Regulamentadora 36 trata da  Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados.

Norma Regulamentadora 36
Norma Regulamentadora 36

Antes de tudo é importante destacar que ela  tem por objetivo estabelecer os requisitos mínimos para a avaliação, controle e monitoramento dos riscos existentes.

E tudo isso nas  atividades desenvolvidas na indústria de abate e processamento de carnes e derivados destinados ao consumo humano.

Desta maneira a NR-36 visa a garantir permanentemente a segurança, a saúde e a qualidade de vida no trabalho.

Indiscutivelmente essa norma deve aplicada em consonância com as demais NR’s em especial a NR-17 Ergonomia.

Manuseio de produtos conforme a Norma Regulamentadora 36

Inegavelmente o empregador deve adotar meios técnicos e organizacionais para reduzir os esforços nas atividades de manuseio de produtos.

Jamais devem ser efetuadas atividades que exijam manuseio ou carregamento manual de peças, volumosas ou pesadas, que possam comprometer a segurança e a saúde do trabalhador.

Assim o levantamento, transporte, descarga, manipulação e armazenamento de produtos, partes de animais e materiais não podem comprometer a saúde do trabalhador.

Então todo trabalho deve ser executado de forma que o esforço físico realizado pelo trabalhador seja compatível com sua segurança, saúde e capacidade de força.

O que fala a Norma Regulamentadora 36 a respeito da recepção e descarga de animais?

Primeiramente as atividades de descarga e recepção de animais devem ser devidamente organizadas e planejadas.

Já nas áreas de recepção e descarga de animais devem permanecer somente trabalhadores devidamente informados e treinados.

Também devem ser adotadas medidas de prevenção para que as atividades de segurar e degolar animais sejam efetuadas com segurança.

Máquinas, equipamentos e ferramentas de acordo com a Norma Regulamentadora 36


Acima de tudo precipuamente, as máquinas e equipamentos utilizados nas empresas de abate e processamento de carnes e derivados devem atender ao disposto na NR-12.

Outro ponto importante é que o efetivo de trabalhadores da manutenção deve ser compatível com a quantidade de máquinas e equipamentos existentes na empresa.

Dessa maneira, os equipamentos e ferramentas disponibilizados devem favorecer a adoção de posturas e movimentos adequados, facilidade de uso e conforto.

Igualmente as ferramentas devem ser específicas e adequadas para cada tipo de atividade e tão leves e eficientes quanto possível.

A Norma Regulamentadora 36 e as condições ambientais

A fim de melhor entender, os riscos presentes no ambiente de trabalho devem estar contemplados no PPRA e no PCMSO.

Já as recomendações para adequações e melhorias devem ser expressas em programas claros e objetivos, com definição de datas de implantação.

Assim também para as atividades que possam expor o trabalhador ao contato com excrementos, vísceras e resíduos animais.

Nesse caso devem ser adotadas medidas técnicas, administrativas e organizacionais.

De certo esses procedimentos têm o objetivo de eliminar, minimizar ou reduzir o contato direto do trabalhador com estes produtos ou resíduos.

Gerenciamento de riscos em consonância coma Norma Regulamentadora 36

Antes de iniciar as atividades, o empregador deve colocar em prática uma abordagem planejada, estruturada e global da prevenção, por meio do gerenciamento dos fatores de risco em SST. 

E também de modo a assegurar o bem estar dos trabalhadores e garantir que os ambientes e condições de trabalho sejam seguros e saudáveis. 
E isso certamente faz toda diferença!

Então as ações de avaliação, controle e monitoração dos riscos devem:

  • Constituir um processo contínuo e interativo;
  • Integrar todos os programas de prevenção e controle previstos nas demais NR;
  • Abranger a consulta e a comunicação às partes envolvidas, com participação dos trabalhadores.

Contudo as medidas preventivas e de proteção devem ser implementadas de acordo com a seguinte ordem de prioridade:

  • Eliminação dos fatores de risco;
  • Minimização e controle dos fatores de risco, com a adoção de medidas coletivas – técnicas, administrativas e organizacionais;
  • Uso de Equipamentos de Proteção Individual – EPI.

Treinamentos de segurança de acordo com a Norma Regulamentadora 36

Primeiramente os trabalhadores devem receber informações sobre os riscos relacionados ao trabalho, suas causas potenciais, efeitos sobre a saúde e medidas de prevenção.

Dessa maneira eles devem estar treinados e suficientemente informados sobre:

  • Os métodos e procedimentos de trabalho;
  • O uso correto e os riscos associados à utilização de equipamentos e ferramentas;
  • As variações posturais e operações manuais que ajudem a prevenir a sobrecarga osteomuscular e reduzir a fadiga, especificadas na AET;
  • Os riscos existentes e as medidas de controle;
  • O uso de EPI e suas limitações;
  • As ações de emergência.

Outros treinamentos relacionados à Norma Regulamentadora 36

Apesar de não especificarem a carga horária, os treinamentos abaixo merecem total importância. Por exemplo: 

Já os treinamentos com carga horária específica, temos por exemplo:

Apesar da Norma Regulamentadora ser diferente do contexto das demais NR’s, ela merece muita atenção e importância.

E se você precisar de um treinamento específico sobre esta NR, não hesite em procurar a Prolife, pois ela realmente entende tudo a respeito de SST em qualquer área e ambiente. 

Então não espere mais, clique aqui e fique informado sobre o que precisa!

Autora: Maria Lima/Técnica de Segurança do Trabalho e Gestora Ambiental

Saiba mais

Prolife especialista em todas Normas Regulamentadoras

Os melhores vídeos de SST da atualidade

Rodrigo Oliver
Sou Engenheiro de Segurança do Trabalho e Higienista Ocupacional, daqueles que estão sempre falando de segurança, então a ideia é compartilhar com vocês as coisas que acredito e que têm possibilitado um grande sucesso na nossa empresa. Aqui são dezenas de pessoas trabalhando para encontrar a solução mais incrível na redução dos acidentes de trabalho e das doenças ocupacionais.