O aumento da gasolina e a situação adversa para segurança do trabalho

Antes de explicar o título da publicação vamos combinar que a segurança do trabalho é a atividade que garante que todas as demais atividades sejam feitas com o menor risco a saúde e isso faz dessa atividade a mais importante de todas.

E sobre o aumento da Gasolina

Agora deixe-me falar sobre o aumento da gasolina e já voltaremos na reflexão acima.

Estamos vivendo mais um momento onde o “desgoverno” propôs o aumento da tributação do PIS e Cofins sobre a gasolina, o diesel e o álcool combustível e diga se de passagem, um aumento que afronta a Constituição Federal e impacta diretamente na economia do país. Essa situação não somente prejudica a todos os brasileiros como também quem trabalha diretamente nos postos de combustíveis. E para nós profissionais de segurança do trabalho esse aumento vêm como um desrespeito a vida.

Acontece que várias são as pessoas que, devido ao aumento dos preços, se deslocam para postos de outras cidades e até mesmo estados, com intuito de comprar combustível com um preço mais acessível e quem sabe poder encher o tanque do veículo.  Também, pessoas que estão em viagem ficam sempre atentas procurando um posto com melhor preço. Claro que isso é justo e bom.

Contudo, o problema está no “chorinho”, que em momentos como esse acabam sendo solicitados pelos motoristas e as vezes até estimulado pelos donos de postos de gasolina. O “chorinho” consiste em continuar abastecendo o veículo após o desarme da bomba.

Para dar o chorinho, o frentista precisa estar bem próximo a entrada do tanque de combustível, pois ele não conta mais com o desarme automático.  Então, ele fica inspecionando visualmente o nível do tanque e acaba inalando o perigoso gás benzeno. E, se o combustível vaza a situação piora, pois ele limpa o carro (onde escorreu gasolina) com um pano do qual muita das vezes guarda no bolso onde têm contato permanente com o gás.

O toxico e cancerígeno gás benzeno é um hidrocarboneto que age de forma lenta no organismo do trabalhador afetando a medula óssea  e os males são inevitáveis. O profissional de segurança que já tenha prestado serviços para postos de gasolina sabe bem das reclamações de dor de cabeça e enjoo entre outras que podem provir do contato com o benzeno.

 

Só o frentista corre risco?

Além do frentista (maior prejudicado), todos aqueles que laboram em outras atividades tais como: lubrificação, medição dos níveis de óleo e água no motor e lavagem de veículos devem tomar cuidado, pois podem ser contaminados devido ao contato direto com as peças e panos e estopas usadas durante  suas tarefas.

Mas, com o aumento do preço do combustível temos de dar uma atenção especial ao profissional frentista, pois está mais exposto.

 

Como profissional de segurança do trabalho

Para nós, profissionais de segurança com atuação direta facear importante ressaltar as práticas sobre as ações de controle de insalubridade nos postos de combustíveis e serviços. Sendo extremamente necessário criar meios para antecipação, reconhecimento, avaliação e controle dos riscos ambientais presentes nestes ambientes, visando a proteção do trabalhador e de todos os envolvidos.

Caso deseje aprofundar, visite nossa página sobre a NR-20 (Segurança e saúde com inflamáveis e combustíveis), clicando aqui. Não deixe de conferir essa breve explicação e se desejar poderá também  baixar a norma.

 

Como cidadão de bem

Para as pessoas que não estão envolvidas na questão direta da solução, é importante propagar a mensagem do risco dessa prática.

Para os proprietários de postos de gasolina, de boa-fé, é importante saberem que já existe uma lei que proíbe essa prática, se trata da portaria nº 1.109, de 21 de setembro de 2016. Claro que deixo o link dela na íntegra(clique aqui para ter acesso) .

 

E quanto a reflexão inicial?

Bem, antes de finalizar vamos explicar porque iniciamos essa postagem com o discurso da importância da atividade do profissional de segurança do trabalho: Fiz isso pelo simples fato de que  nós, profissionais de segurança, diante de uma situação como essa (acima), não podemos ficar atônicos. Nosso papel é estar atento as questões como essa e trivialmente nunca aceitar o chorinho. A cada vez que lhe oferecerem, explique os riscos para os frentistas.

Mas, também, compartilhe essa publicação se recebeu através do facebook ou entre em nossa página no facebook para compartilhar, (clique aqui para acessar nossa página) ou, ainda, envie o link para algum proprietário de posto de gasolina. É fundamental que essa mensagem propague.

 

PS

Lembrem também que o chorinho prejudica o veículo, pois ao abastecer após o desarme da bomba o nível do combustível ultrapassa o nível de uma tubulação interna do motor responsável pela captação de gases. Nessa tubulação encontra-se um filtro chamado de cânister que após encharcado pode perder sua atribuição prejudicando outras peças como velas e o catalizador.

Rodrigo Oliver
Engenheiro de Segurança do Trabalho / Higienista Ocupacional 
PRO-LIFE ENGENHARIA
e-mailrodrigo@prolifeengenharia.com
“E todo aquele que evocar o nome do Senhor será salvo” Atos 2:21

Veja também

 

Rodrigo Oliver
Sou Engenheiro de Segurança do Trabalho e Higienista Ocupacional, daqueles que estão sempre falando de segurança, então a ideia é compartilhar com vocês as coisas que acredito e que têm possibilitado um grande sucesso na nossa empresa. Aqui são dezenas de pessoas trabalhando para encontrar a solução mais incrível na redução dos acidentes de trabalho e das doenças ocupacionais.